Uma realidade crescente, inconveniente e assustadora. O Setembro Amarelo é um movimento mundial que busca alertar e conscientizar a população sobre o aumento dos casos do suicídio em todo o mundo. Dessa forma, é possível educar as pessoas para que haja uma maior prevenção e, consequentemente, diminuição dos números dos casos. 

Quer saber mais sobre a história desse importante movimento? Nós contamos a partir de agora e ainda apresentamos alguns números do Brasil. Confira!

 

O jovem Mike e seu Mustang 68

Apaixonado pela cor amarela, o jovem americano Mike Emme era muito conhecido na sua vizinhança por dirigir um Mustang 68 que pintou com a sua cor favorita e, por isso, chamava a atenção de todos quando passava pelas ruas. 

Aos 17 anos, em 1994, Mike cometeu suicídio sem que nenhum de seus amigos e familiares desconfiasse dessa possibilidade. Diante da tragédia, no dia do velório, seus pais e amigos montaram cestas com muitos cartões e fitas amarelas em referência ao amor da vida de Mike, seu carro. Nos cartões, estava escrito: se precisar, peça ajuda.

 

Uma forma de pedir ajuda

O movimento que teve início no velório de Mike ganhou grandes proporções nos Estados Unidos. Logo, os cartões amarelos se tornaram uma forma dos jovens pedirem ajuda a pessoas próximas. Por isso, o laço amarelo se tornou simbolo da campanha de conscientização e prevenção ao suicídio. 

Hoje em dia, o movimento ganhou proporções mundiais e é reconhecido pela OMS, Organização Mundial de Saúde.

 

A data oficial

Em 2003, a OMS decretou o dia 10 de setembro como Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Sendo assim, nesta data acontecem ações de conscientização no mundo inteiro, com o objetivo de desmistificar o assunto e estimular as pessoas a pedirem ajuda e buscarem auxílio com profissionais especializados.

Apesar da data oficial, os eventos relacionados ao Setembro Amarelo duram todo o ano, mobilizando principalmente psicólogos e psiquiatras em atividades educativas. No entanto, é importante que os ensinamentos do Setembro Amarelo perdurem ao longo dos meses.

 

A importância do Setembro Amarelo no Brasil

Os números de suicídio de brasileiros ultrapassam os 13 mil por ano. Por aqui, a campanha do Setembro Amarelo existe desde 2014 e é organizada pelo Centro de Valorização à Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

E, assim como em outros países, a campanha logo ganhou força e se espalhou pelo Brasil, obtendo destaque, iluminando e estampando as fachadas de prédios e monumentos famosos, como o Palácio do Itamaraty e o Cristo Redentor.

 

Se precisar, peça ajuda!

Um site que salva vidas. O Centro de Valorização à Vida disponibiliza um portal na web que realiza apoio emocional e prevenção ao suicídio no Brasil. Assim, o atendimento é feito de forma gratuita e sigilosa. As consultas são feitas por profissionais voluntários da área da saúde do Centro.

Por isso, vale ressaltar que, se você sente que precisa de ajuda, clique aqui, acesse o site e tenha o apoio de um especialista. Ou, se preferir, ligue: 188.

Adotar estratégias para o enfrentamento do suicídio é preciso. Por isso, o Setembro Amarelo existe.

 

Como visto, os números no Brasil ainda são grandes e podem estar relacionados a transtornos mentais, como, por exemplo, a depressão ou transtorno bipolar. Assim, o acompanhamento precisa ser feito a partir dos mínimos sinais. Assim como o jovem Mike, há pessoas que não aparentam uma tendência clara, mas precisam de ajuda.

Você acha que o tema do post de hoje pode ajudar alguém? Então, compartilhe-o em suas redes sociais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *